Casamento, agora eu entendo

julho 13, 2012

Casamento

Há anos venho me perguntando o que demônios se passa na cabeça de uma mulher para ela sonhar tanto com um casamento. Uma cerimônia mirabolante cheia de frescuras e tradições que precisam ser seguidas à risca para que seja tudo perfeito e inesquecível. Uma série de símbolos que até nem são tão importantes mesmo para a mulher, mas que, naquele dia, naquele momento, significam tudo. Claro que não é toda mulher que faz questão de ter uma baita cerimônia. Contudo, são poucas as que estão realmente dispostas a abrir mão disso tudo por opção, e não falta de condição.

Desde pequenas, suas famílias, amigas, mídia, histórias, filmes, livros e tudo mais que for fonte de informação mostram o casamento como o maior e mais belo momento na vida de uma mulher. Algo como se fosse a sua maior conquista. Um episódio único onde estarão todos seus parentes, amigos e conhecidos reunidos em sua homenagem para prestigiá-la. Ela será o centro das atenções. Naquele dia, ninguém será mais importante, ninguém será mais comentada, ninguém será tão cobiçada como ela.

Por anos condenei todo esse oba-oba sobre o casamento criado pelas mulheres. Desde pequeno sempre achei o maior ridículo a alegria que uma mulher sentia ao contar para as amigas que tinha recebido o tão esperado pedido de casamento. Sempre achei que esse fosse o maior exemplo do quanto uma mulher é machista ao se conformar que seu maior objetivo na vida seja casar, ter filhos e passar o resto dos seus dias sustentada pelo marido. Acredito esse tipo de mulher ainda exista e que, sem dúvida nenhuma, ainda seja maioria em nosso planeta. Mas não há como negar que a vontade da mulher por uma cerimônia dessas esteja também presente nos homens. Ok, dificilmente o homem almeje uma cerimônia de casamento com tanta vontade. Até porquê, quem será o centro das atenções não será ele. Mesmo assim, todo homem deseja um momento de glória equivalente ao que um casamento pode proporcionar para uma mulher. Algo que possa compartilhar com todos seus amigos com emoção ao descobrir que está mais perto que nunca de conseguir. Algo que o deixa ansioso a cada dia em que se aproxima. Algo pelo qual irá batalhar fazendo todo o possível para não deixar escapar, pois nunca se sabe quando, ou se de fato, haverá uma outra oportunidade igual.

Pode ser um título de campeonato de qualquer esporte, pode ser uma promoção no trabalho ou uma oportunidade no emprego dos sonhos, pode ser qualquer coisa que tenham alimentado para ele desde pequeno, da mesma forma que o casamento é alimentado para as meninas desde cedo. Enfim, não vejo problema nenhum em uma mulher que almeja o casamento ou qualquer outro objetivo que tenha em sua vida……………………………. Contanto que ela batalhe por isso. Contanto que ela corra atrás e se comprometa a fazer o possível para realizar seu sonho, sem depender dos outros. Que ela seja para o homem tudo o que ela queira que ele seja para ela. E que se ela quiser uma puta cerimônia bilionária, que ela banque do bolso dela com o dinheiro que juntou com seu próprio suor e trabalho (ou herança, vai saber). Garanto que o sabor de uma conquista é muito melhor quando se olha para trás e se vê que todo o esforço valeu a pena e que você é o maior responsável por aquilo ter dado certo!

Concluindo, tem muita mulher que pode seguir vivendo no conto de fadas, mas poucas delas terão   um final feliz (leia este post). Todas as outras, se quiserem de verdade, terão que fazer acontecer.

#falomesmo


Mal agradecido

dezembro 8, 2011

Mal agradecido

Mal agradecido. Bem feito. Mania desgraçada que você tem de dar valor ao que tem somente depois perder. Pior é que nem assim você vai aprender. Vai continuar moleque do jeito que é. Usando essa máscara de justo e correto, vai continuar enganando a todos. E a si mesmo. Cada desculpinha que você cria nessa sua cabeça pra justificar as cagadas que faz. Na hora que o bicho pega, essas desculpinhas não são nada convincentes, né? Pois é. Agora chora. Fica aí com a cabeça baixa, sentindo pena de si mesmo, e torcendo para que sintam pena de você também. Deveriam sentir é nojo de você. Faz o que quer sem pensar nas consequências, e ainda quer se sentir a vítima. Ah, mas se tivesse uma moeda para cada vítima que você fez… Mal agradecido. Sempre teve tudo e nunca devolveu nada. Ou quase nada. Oportunidades não faltaram. Poderia ter sido maravilhoso. Era só ter um pouco mais de força de vontade. E maturidade.

E pensar em quantas pessoas não dariam a vida para ter a sorte que você tem. Pra você, parece ser a coisa mais normal do mundo levar a vida que você leva. Sem consequências, sem danos.. Contanto que você saia satisfeito, está tudo certo. Meu Deus! Inacreditável a sua capacidade de não ter a mínima consideração e respeito. Engraçado que você mesmo prega valores de honestidade e fica fulo da vida quando fica sabendo de alguma mentira. Ridículo. Hipócrita. Toma exatamente as mesmas atitudes que tanto condena. Cabeça de moleque. Mesmo depois de todos esses anos, continua cometendo os mesmos erros. Já era pra você ter aprendido a lição. Sinceramente, você é um caso perdido. E escrever esse texto também não está te ajudando em porra nenhuma, né? Bem feito. Mal agradecido.


O Engraçado

julho 26, 2011

O Engraçado - Palhaço

Alguma vez você já parou para se perguntar, afinal de contas, o que é que se passa dentro da cabeça de um engraçado? Antes disso, vamos definir o que é um engraçado. Segundo o dicionário, “engraçado é: que tem graça; aquele que é divertido, cômico”. Mas, na prática, sabemos que não é bem assim. Se pensar direito, existem vários tipos de engraçado, quase sempre são homens, e os mais comuns são os três exemplos abaixo:

1- Engraçado Legítimo: aquele que é inteligente, astuto, tem enorme potencial e é quase sempre bem-humorado. Contudo, ele é preguiçoso e parece que o único momento em que coloca seus neurônios para funcionar é quando precisa formular a próxima piada. Sim, a próxima piada. O Engraçado Legítimo vive e respira pela próxima piada. As piadas geralmente são boas e, quase sempre, fazem ele ser o centro das atenções em qualquer encontro com amigos e colegas. Muitas vezes quando o clima está chato em uma festa, jantar ou qualquer tipo de encontro, é comum pedirem para que ele faça alguma de suas palhaçadas para animar o ambiente. Da mesma forma, é comum ele fazer cu-doce quando pedem tal coisa.

2- Engraçado Wannabe: este é aquele cara chato. É aquele cara que tenta ser engraçado, mas não consegue. Em algum momento de sua vida, suas piadas e palhaçadas deram certo com algumas pessoas que tinham QI compatível com o dele, e ele simplesmente achou que seria assim com todas as outras pessoas que conhecesse. O Engraçado Wannabe tenta desesperadamente ser um Engraçado Legítimo (conforme citado acima), mas não consegue. E nunca conseguirá. É até interessante ver como ele se comporta perto de um Engraçado Legítimo. O Wannabe tenta apropriar-se das piadas do Legítimo, ele inclusive tenta ser mais engraçado que o Legítimo, passando uma imagem forçada e até irritante. O Wannabe não tem noção das situações em que se apresenta e é capaz de praticamente tudo para conseguir atenção.

3- Engraçado Acidental: é aquele cara que não quer ser engraçado, mas é. Simples assim. Certas coisas que ele fala ou faz, que para ele podem ser as coisas mais normais possíveis, para os outros é fruto de gargalhadas históricas, sempre relembradas em reencontros, nos quais, o Acidental continua não entendendo o motivo da graça. Vale citar o quão interessante é observar o Wannabe ao imitar o Acidental. Ele fala ou faz coisas estranhas propositalmente só para ver a reação das pessoas. Muitas vezes ninguém dá risada. Mas quando dá, é ainda mais interessante a cara que ele faz ao fingir que não sabe qual o motivo da graça.

Os três tipos de engraçado acima, principalmente os dois primeiros, tem algo em comum: a insegurança. Em algum momento de suas vidas (muito provavelmente a infância), o Engraçado percebeu que conseguia atenção de uma forma muito menos cansativa do que chorar, berrar e fazer manha. Essa epifania geralmente ocorre em uma daquelas ocasiões em que os pais traziam um monte de amigos em casa, e o jovem Engraçado acabou fazendo ou falando alguma coisa que gerou boas risadas para os convidados. A partir daí, ele processou em sua pequena cabecinha que, enquanto ele entretesse a pessoa a sua frente, ele teria aceitação e até admiração! Daí em diante, toda e qualquer pessoa que ele conhecesse em sua vida, logo no primeiro diálogo, não seria incomum ele já falar alguma piadinha ou comentário cômico. Aliás, na maioria das vezes, esses comentários cômicos são seu cartão de visitas para iniciar qualquer tipo de conversa com uma pessoa desconhecida. É fácil notar que o Engraçado pode levar bastante tempo antes de se sentir completamente à vontade para ter uma conversa mais séria com alguém. São frequentes as vezes em que ele solta alguma piada durante discussões para não se sentir tão intimidado. E se a pessoa não rir do seu comentário, ele se sentirá ainda mais ameaçado.

Essa é a tal insegurança. De não saber como se comportar quando a coisa fica séria. Se você é um Engraçado, sabe exatamente como é isso: não saber o que falar em um velório, ou não saber como aconselhar uma pessoa que precisa muito de um ombro amigo. O humor é a principal (e muitas vezes a única) arma do Engraçado. Ele a usa para se sentir mais a vontade em entrevistas de emprego, nas paqueras de baladas e botecos, até mesmo nas conversas com a turma do futebol. O Engraçado pensa que, se ele não for engraçado, não será aceito, não será notado, e assim, será apenas um espectador. Tendo isso em vista, o Engraçado tem duas escolhas:

– a primeira é evoluir, amadurecer, e perceber que ele tem muito mais a oferecer para o mundo e para as pessoas do que simplesmente alguns comentários engraçados. Ele se torna uma pessoa mais séria, mas não perde o senso de humor. Muito pelo contrário, o humor fica mais apurado, e irá se manifestar apenas na hora certa. Além disso, se ele fizer uma piada e não der certo, ele não irá mais ficar tão abatido.

– a outra escolha que o Engraçado pode fazer é perseguir cada vez mais a aceitação das pessoas com o humor. Com isso, ele corre um grave risco de se tornar um Wannabe (se é que ele já não é um).

E aí? Qual tipo de engraçado você é?

Créditos da imagem: gremioacimadetudo.blogspot.com


Nasce uma Estrela

julho 22, 2011

Fazia tempo que não postava alguma coisa no meu blog.. Mas desta vez não podia deixar passar a oportunidade. Nesta semana tive o prazer de conferir a estréia nos palcos do meu querido amigo, e quase irmão, Marcelo Bechert (nome de estrela ele já tem!). Eu inlcusive já fiz um post aqui no blog falando sobre seu Canal no YouTube, que também vale muito a pena conferir. Bom, não vou tomar seu tempo falando sobre o (enorme) talento dele, basta conferir o vídeo abaixo:


A Vadia

junho 16, 2011

A Vadia

Lá estava ela, mais uma vez. Noite afora, já era mais dia do que noite. Com um dos seus vestidos mais provocantes e uma sandália de salto alto fino que acentuava as curvas da coxa e panturrilhas. Toda perfumada e penteada, não havia um homem sequer que resistisse alguns segundos de contemplação. Era alta, chamativa, sexy, e ela sabia disso. Não era ingênua. Desde que entrou na adolescência, aprendeu a se acostumar com os olhares, com as frequentes abordagens, com os silêncios repentinos toda vez que ela chegava em algum lugar. Ela era daquelas que poderiam ter qualquer um. Bastava ela ficar parada no meio da pista que os homens faziam fila para abordá-la. Era um “não” atrás de outro. A cada homem que ela dispensava, seu ego aumentava mais ainda. Ninguém era bom o suficiente para ela.

Mas algo estranho aconteceu naquela noite. Em meio a tantos olhares focados nela, ela focou seu olhar em um homem. Este homem, curiosamente, ainda não havia reparado nela. “impossível”, pensou. Posicionou-se mais perto dele para entrar em seu campo de visão. Nada. Sequer um olharzinho. Chegou mais perto, quase na frente dele. Não tinha como ele não vê-la. Ela olhou fixamente para seus olhos. Então ele percebeu. Olhou para os olhos dela, sorriu. Ela respondeu com outro sorriso. Continuaram se olhando. Mas o homem nada fazia além de olhar e sorrir. “que que ele tá esperando?”, ela estava se irritando. Por que ele ainda não foi falar com ela? Estaria acompanhado? Compromissado? Seria homossexual? Tímido? Jamais ela saberia. Ela nunca tomava a iniciativa. Sua vida inteira se resumia em falar “sim” ou “não” para as propostas q recebia.

Enquanto ficava com aquele conflito de pensamentos na cabeça, uma outra mulher se aproximou dele. Sem mais nem menos, falou algo no ouvido dele. Ele sorriu e respondeu da mesma forma. Seria sua namorada? Ficante? Amiga? Não se podia ouvir do que estavam falando, mas era fácil notar que haviam acabado de se conhecer. Conversaram por mais alguns minutos e então se beijaram.

A outra assistiu tudo de camarote. Ficou enfurecida. Depois de tudo que havia feito, perdeu para uma qualquer. Uma ignorante que desrepeitou seu papel de mulher, de passiva. Uma descarada que teve a ousadia e a cara de pau de tomar a iniciativa. Uma safada que ousou desafiar as leis da paquera entre homens e mulheres. Uma vadia.

Créditos da imagem: cidaderiodejaneiro.olx.com.br


Uma futura cineasta

junho 13, 2011

Para quem não conhece, a @taticantalejo e minha priminha de coração que carreguei no colo não faz muito tempo. Hoje ela decidiu se aventurar no concorrido mundo das telonas e, mesmo antes de sair do colegial, já está brilhando no YouTube. Ontem tive o prazer de ver um de seus muito trabalhos já publicados em seu Canal do YouTube. Fiquem agora com um mashup de cenas de filmes diferentes. Parece que é um só!! Parabéns, priminha! =)


Videolog do Tio Célo Sensacional

maio 26, 2011

Para quem ainda não conhece, o Tio Célo é um dos meus melhores amigos e uma das pessoas mais brilhantes que já conheci em minha curta vida. Ele conta umas histórias muito boas e estou ajudando ele a divulgar seu videolog. Vale a pena dar uma olhada pois tem coisas muito legais por lá. Assistam o vídeo abaixo que é o mais atual e, depois, dêem uma olhada em seu Canal do YouTube.