O Juca dos Injustos

junho 2, 2010

Atlética Cásper Líbero

Injusto é treinar desde Agosto do ano anterior para uma competição que dura apenas quatro dias. Quatro dias para apenas três jogos. Três jogos que podem nem ser três, no caso de uma eliminação precoce.

Injusto é sacrificar tanto. Perder tanta coisa ao longo de um ano por apenas quatro dias. Quatro dias que poderiam ser aproveitados de muitas outras maneiras. Quatro dias que irão passar num piscar de olhos. E logo se tornarão mais um ano interminável até o próximo Corpus Christi. Tudo por causa desse Juca.

É por causa do Juca que você, atleta, não vai mais escapar da DP. É por causa do Juca que o teu namoro está caindo aos pedaços. É por causa do Juca que muitos dos teus amigos te odeiam por não ter mais tempo pra eles. É por causa do Juca que você passa a semana inteira com sono no trabalho. É por causa desse maldito Juca que o teu ombro, costas, cotovelo, pulso, joelho, tornozelo e canela estão cheios de marcas e dores insuportáveis.

Injusto é ser casperiano. Maldita foi a tua escolha de faculdade na hora de prestar o vestibular. Injusto é esse vício que você tem de contar as horas até o próximo treino. E os dias até o próximo jogo. É essa ansiedade desgraçada que não te deixa dormir direito. Essa adrenalina irritante que te faz tremer toda vez que alguém menciona essa sigla maldita: JUCA

Nunca na vida você foi tão injustiçado. Nunca sofreu tanto nem ficou tão desgastado. E o maior culpado disso é você, atleta. Você que não houve seus pais quando eles reclamam dos horários dos treinos. Você que gasta todo seu salário em gasolina para jogar nos fins de semana na casa do chapéu. Você que teima em acreditar que voltará pra casa com um pedaço de metal pendurado no pescoço. Você é o mais injusto de todos nessa história. Injusto consigo mesmo.

E agora, caro atleta, você tem quatro dias para acertar as contas. Você e esse grupo de desesperados que dividem as mesmas lágrimas, as mesmas dores, as mesmas angústias e o mesmo sangue.. vocês têm míseros quatro dias para fazer todo esse sacrifício valer a pena. Sim, atleta. Você está dentro do seleto grupo que pode mudar a história de um ano inteiro e torná-lo inesquecível em apenas quatro dias.

Agora, pergunte-se: quanta gente pode se dar o mesmo luxo?

Injusto, não?

Portanto, atleta, faça justiça neste Juca:
Pelos que acreditam em você,
Pelos que sofrem como você,
E, principalmente, por você.

Duda Mendonza
Maldito e Injusto

Injusto é treinar desde Agosto do ano anterior para uma competição que dura apenas quatro dias. Quatro dias para apenas três jogos. Três jogos que podem nem ser três, no caso de uma eliminação precoce.

Injusto é sacrificar tanto. Perder tanta coisa ao longo de um ano por apenas quatro dias. Quatro dias que poderiam ser aproveitados de muitas outras maneiras. Quatro dias que irão passar num piscar de olhos. E logo se tornarão mais um ano interminável até o próximo Corpus Christi. Tudo por causa desse Juca.

É por causa do Juca que você, atleta, não vai mais escapar da DP. É por causa do Juca que o teu namoro está caindo aos pedaços. É por causa do Juca que muitos dos teus amigos te odeiam por não ter mais tempo pra eles. É por causa do Juca que você passa a semana inteira com sono no trabalho. É por causa desse maldito Juca que o teu ombro, costas, cotovelo, pulso, joelho, tornozelo e canela estão cheios de marcas e dores insuportáveis.

Injusto é ser casperiano. Maldita foi a tua escolha de faculdade na hora de prestar o vestibular. Injusto é esse vício que você tem de contar as horas até o próximo treino. E os dias até o próximo jogo. É essa ansiedade desgraçada que não te deixa dormir direito. Essa adrenalina irritante que te faz tremer toda vez que alguém menciona essa sigla maldita: JUCA

Nunca na vida você foi tão injustiçado. Nunca sofreu tanto nem ficou tão desgastado. E o maior culpado disso é você, atleta. Você que não houve seus pais quando eles reclamam dos horários dos treinos. Você que gasta todo seu salário em gasolina para jogar nos fins de semana na casa do chapéu. Você que teima em acreditar que voltará pra casa com um pedaço de metal pendurado no pescoço. Você é o mais injusto de todos nessa história. Injusto consigo mesmo.

E agora, caro atleta, você tem quatro dias para acertar as contas. Você e esse grupo de desesperados que dividem as mesmas lágrimas, as mesmas dores, as mesmas angústias e o mesmo sangue.. vocês têm míseros quatro dias para fazer todo esse sacrifício valer a pena. Sim, atleta. Você está dentro do seleto grupo que pode mudar a história de um ano inteiro e torná-lo inesquecível em apenas quatro dias.

Agora, pergunte-se: quanta gente pode se dar o mesmo luxo?

Injusto, não?

Portanto, atleta, faça justiça neste Juca:

Pelos que acreditam em você,

Pelos que sofrem como você,

E, principalmente, por você.

Duda Mendonza

Maldito e Injusto

Anúncios

Futsal Masculino Estréia na Liga Paulista

março 25, 2010

Jesse Owens

A UFSCAR será o primeiro teste para a equipe, agora sob o comando do técnico Dalton

Duda Mendonza
Assessoria de Imprensa

Com a equipe ainda indefinida para a estréia na Liga Paulista Universitária, Dalton tem a primeira oportunidade de observar seu novo elenco em ação. Os casperianos realizarão nesta quinta-feira o último treino antes do início da competição. “Ainda é preciso ver quais os atletas da seletiva que, de fato, tem condições de permanecer no time deste ano. Poderão haver cortes inclusive no elenco atual.” afirma o comandante.

As palavras do professor servem de aviso para que os jogadores que vêm jogando desde o ano passado não se acomodarem na situação atual. Mais de quinze atletas foram pré-aprovados na peneira realizada semanas atrás e todos eles possuem condições de defender o manto vermelho.

O jogo

Como de costume, os casperianos irão se aventurar nas proximidades da fronteira com o Uruguay (quadra da Santa Casa) para defender sua amada faculdade. A equipe jogará contra a forte UFSCAR que, em 2009, ficou apenas dois pontos atrás da Gazeta na classificação geral da modalidade. No último encontro, os casperianos conseguiram uma vitória suada que, infelizmente, não foi suficiente para garantir a classificação para a divisão principal deste ano. A Cásper, que teve campanha surpreendente ao chegar à finalíssima da Série Ouro no primeiro semestre do ano passado, espera repetir a dose nesta temporada e chegar com ótimas condições no Juca 2010. “Nunca tive tanta saudades de vestir o manto vermelho!” afirma o fixo Guiga, demonstrando sua ansiedade pelo confronto.

INFORMAÇÕES

Cásper Líbero x UFSCAR
Local: Santa Casa
Data: Domingo – 28/03
Horário: 13h00

Leia a matéria no site da Atlética.


Chegou a Hora de Andaluzia e Marios Brothers

agosto 12, 2009

O vencedor enfrentará o Coisa Linda ou o Abaporu nas quartas-de-final da Copa Gérson

Duda Mendonza
Assessoria de Imprensa

Andaluzia

Andaluzia

Após um longo período de recesso devido ao risco iminente da gripe suína nas imediações da Cásper Líbero, a Copa Gérson volta a todo vapor, incendiando o pequeno ginásio gazeteiro nas noites da Av. Paulista. A semana já começou pegando fogo com os confrontos entre Passabola e TH7, e Amigos do Ronaldo e Ah Como é Gostoso.

Agora, a próxima quarta-feira promete ainda mais emoções para o público casperiano. A equipe do velho continente, que fez uma primeira fase impecável, volta a entrar em quadra para defender as cores andaluzes contra o sempre perigoso Marios Brothers. Apesar de sobrar motivação para o confronto, o elenco europeu volta a sofrer o incômodo de um antigo fantasma: os desfalques. Gabriel Negão e Flor, contundidos, se juntam a Cenoura e Kalil, a trabalho, na lista de nomes que não irão entrar em quadra. “Parece que quanto mais gente trazemos pro time, mais desfalques aparecem!” diz o inconformado Espiga.

Do lado do adversário, existe a expectativa de figurar pela primeira vez entre os oito melhores times em um campeonato gazeteiro.

Abaporu x Coisa Linda

Mais uma vez, estes antigos rivais do futebol casperiano se encontram em um campeonato interno. O Coisa Linda, embalado pela campanha surpreendente nos famosos Jogos da Cidade, pretende manter a tradição de Bixo Papão da Copa Gérson e levar o caneco pela sei-lá-qual vez seguida. O Abaporu, por sua vez, traça sua rota discretamente para tentar surpreender o rival mais uma vez.

As noites casperianas prometem. Não deixe de acompanhar:

Abaporu x Coisa Linda – Terça 11/08 – 21h30
Andaluzia x Mario – Quarta 12/08 – 21h30

Matéria em: Atlética Jesse Owens 


Portfólio – Um lado mais jornalístico

agosto 6, 2009

Não podia faltar, né? Quem quiser ver um pouco do meu trabalho no mundo do jornalismo esportivo, pode dar uma olhada no site da Atlética Cásper Líbero.

Atlética Jesse Owens

Atlética Jesse Owens

Assino as matérias como Duda Mendonza e sempre que posto uma reportagem, dou uma twittada no @couto10 para avisar.


Creio na Cásper

junho 30, 2009

Há alguns tempos virei fã da propaganda argentina. Especialmente quando se trata de propaganda esportiva. Eles tem uma paixão quando falam de suas equipes que surpreende e emociona qualquer um. A mim porquê sempre que vejo estes comerciais, eu lembro das equipes da minha querida faculdade: Cásper Líbero. Se formos ver a tradução das narrações, tudo o que os atletas casperianos passam para treinar e jogar estão resumidos nesses comerciais. Assista os vídeos e, logo abaixo, confira as traduções adaptadas ao futebol casperiano.

Creio na paixão sem verso
Creio na entrega sem limites
Creio nas façanhas que terminam em proezas
Creio no compromisso
Creio na beleza
Creio na luta que é muita
Creio no talento
Creio na humildade
Creio no respeito
Creio na loucura
Creio na distância que percorre uma esperança
Quando se empurra e se empurra
Creio na irmandade
Creio na amizade
Creio na força que sai de dentro quando se quer ganhar
Creio na aventura
Creio nos sonhos
Creio no real
Creio na vontade que derruba barreiras
Creio na alegria
Creio nos desafios
Creio nos homens com espíritos imensos
Creio na destreza
Creio que uma lágrima sincera vale mais
Que mil bandeiras alçadas no céu

Creio na Cásper

E agora, o que realmente emociona:

Bendito seja o Juca com que sonhamos
Bendito cada nome que foi convocado
Benditos os bichos que sempre revelamos
O peso da história, o respeito ganhado

Malditas sejam as lembranças dolorosas
Maldita a impotência e as injustiças que vivemos
O voltar para casa cada um pro seu  lado
As finais sem jogar, e ficarmos pelo caminho

Bendita a anestesia geral às nossas dores
As tristezas que curamos com abraços
As gargantas que se rompem pelos gols
E nos sentirmos os melhores por um momento

Malditos os sorteios e os grupos da morte
Os controles propositais que aniquilaram nossa sorte
Malditos os cavalos que jogam sem poesia
Os que batem, os que invejam, os que quebram e machucam

Bendito seja o orgulho com que entramos em campo
Os campos de várzea e a bola não se mancham
O DVD que repete o drible e as canetas
Encher as redes dos outros, encher o peito dos nossos
Merecer a camiseta

Os turistas, jornalistas, patrocinadores, os amigos, o Hino
E as mulheres acompanhando as partidas

Benditas as catimbas que dão resultado
As risadas e o choro que guardaremos tanto

E bendito esse momento que nos dá o futebol
De poder mudar nosso destino
E sentir outra vez, e frente ao mundo

O glorioso
O doloroso
De ser Casperiano