O Engraçado

julho 26, 2011

O Engraçado - Palhaço

Alguma vez você já parou para se perguntar, afinal de contas, o que é que se passa dentro da cabeça de um engraçado? Antes disso, vamos definir o que é um engraçado. Segundo o dicionário, “engraçado é: que tem graça; aquele que é divertido, cômico”. Mas, na prática, sabemos que não é bem assim. Se pensar direito, existem vários tipos de engraçado, quase sempre são homens, e os mais comuns são os três exemplos abaixo:

1- Engraçado Legítimo: aquele que é inteligente, astuto, tem enorme potencial e é quase sempre bem-humorado. Contudo, ele é preguiçoso e parece que o único momento em que coloca seus neurônios para funcionar é quando precisa formular a próxima piada. Sim, a próxima piada. O Engraçado Legítimo vive e respira pela próxima piada. As piadas geralmente são boas e, quase sempre, fazem ele ser o centro das atenções em qualquer encontro com amigos e colegas. Muitas vezes quando o clima está chato em uma festa, jantar ou qualquer tipo de encontro, é comum pedirem para que ele faça alguma de suas palhaçadas para animar o ambiente. Da mesma forma, é comum ele fazer cu-doce quando pedem tal coisa.

2- Engraçado Wannabe: este é aquele cara chato. É aquele cara que tenta ser engraçado, mas não consegue. Em algum momento de sua vida, suas piadas e palhaçadas deram certo com algumas pessoas que tinham QI compatível com o dele, e ele simplesmente achou que seria assim com todas as outras pessoas que conhecesse. O Engraçado Wannabe tenta desesperadamente ser um Engraçado Legítimo (conforme citado acima), mas não consegue. E nunca conseguirá. É até interessante ver como ele se comporta perto de um Engraçado Legítimo. O Wannabe tenta apropriar-se das piadas do Legítimo, ele inclusive tenta ser mais engraçado que o Legítimo, passando uma imagem forçada e até irritante. O Wannabe não tem noção das situações em que se apresenta e é capaz de praticamente tudo para conseguir atenção.

3- Engraçado Acidental: é aquele cara que não quer ser engraçado, mas é. Simples assim. Certas coisas que ele fala ou faz, que para ele podem ser as coisas mais normais possíveis, para os outros é fruto de gargalhadas históricas, sempre relembradas em reencontros, nos quais, o Acidental continua não entendendo o motivo da graça. Vale citar o quão interessante é observar o Wannabe ao imitar o Acidental. Ele fala ou faz coisas estranhas propositalmente só para ver a reação das pessoas. Muitas vezes ninguém dá risada. Mas quando dá, é ainda mais interessante a cara que ele faz ao fingir que não sabe qual o motivo da graça.

Os três tipos de engraçado acima, principalmente os dois primeiros, tem algo em comum: a insegurança. Em algum momento de suas vidas (muito provavelmente a infância), o Engraçado percebeu que conseguia atenção de uma forma muito menos cansativa do que chorar, berrar e fazer manha. Essa epifania geralmente ocorre em uma daquelas ocasiões em que os pais traziam um monte de amigos em casa, e o jovem Engraçado acabou fazendo ou falando alguma coisa que gerou boas risadas para os convidados. A partir daí, ele processou em sua pequena cabecinha que, enquanto ele entretesse a pessoa a sua frente, ele teria aceitação e até admiração! Daí em diante, toda e qualquer pessoa que ele conhecesse em sua vida, logo no primeiro diálogo, não seria incomum ele já falar alguma piadinha ou comentário cômico. Aliás, na maioria das vezes, esses comentários cômicos são seu cartão de visitas para iniciar qualquer tipo de conversa com uma pessoa desconhecida. É fácil notar que o Engraçado pode levar bastante tempo antes de se sentir completamente à vontade para ter uma conversa mais séria com alguém. São frequentes as vezes em que ele solta alguma piada durante discussões para não se sentir tão intimidado. E se a pessoa não rir do seu comentário, ele se sentirá ainda mais ameaçado.

Essa é a tal insegurança. De não saber como se comportar quando a coisa fica séria. Se você é um Engraçado, sabe exatamente como é isso: não saber o que falar em um velório, ou não saber como aconselhar uma pessoa que precisa muito de um ombro amigo. O humor é a principal (e muitas vezes a única) arma do Engraçado. Ele a usa para se sentir mais a vontade em entrevistas de emprego, nas paqueras de baladas e botecos, até mesmo nas conversas com a turma do futebol. O Engraçado pensa que, se ele não for engraçado, não será aceito, não será notado, e assim, será apenas um espectador. Tendo isso em vista, o Engraçado tem duas escolhas:

– a primeira é evoluir, amadurecer, e perceber que ele tem muito mais a oferecer para o mundo e para as pessoas do que simplesmente alguns comentários engraçados. Ele se torna uma pessoa mais séria, mas não perde o senso de humor. Muito pelo contrário, o humor fica mais apurado, e irá se manifestar apenas na hora certa. Além disso, se ele fizer uma piada e não der certo, ele não irá mais ficar tão abatido.

– a outra escolha que o Engraçado pode fazer é perseguir cada vez mais a aceitação das pessoas com o humor. Com isso, ele corre um grave risco de se tornar um Wannabe (se é que ele já não é um).

E aí? Qual tipo de engraçado você é?

Créditos da imagem: gremioacimadetudo.blogspot.com

Anúncios